França cria imposto digital de 3% para gigantes de tecnologia como Facebook, Google, Amazon e Apple

A onda de impostos sobre serviços digitais propostos a serem aplicados na Europa já chegou na França. De acordo com o Wall Street Journal (WSJ), o governo francês anunciou seu projeto de tributos na semana passada.

Se aprovado, a França espera arrecadar cerca de US$ 450 milhões em 2019 com a publicidade direcionada de mais de 30 gigantes da tecnologia, entre elas Facebook, Google, Amazon e Apple.

O novo imposto será de 3% e será aplicado retroativamente a janeiro deste ano sobre as receitas globais anuais de empresas que ultrapassem US$ 850 milhões e pelo menos US$ 28 milhões na França.

Isso engloba as grandes empresas de tecnologia que já têm que estar atentas ao projeto que será votado em abril.

O novo imposto deve intensificar a pressão sobre os EUA em uma nova rodada de negociações multilaterais, conduzida pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD), sobre como reformular o sistema de tributação das empresas para a era digital, diz a reportagem.

A França e outros países europeus querem um sistema que aloque mais lucros do Vale do Silício a seus territórios para fins tributários.

Segundo o WSJ, o imposto deve ser aprovado com facilidade porque o partido do presidente francês Emmanuel Macron controla grande maioria no parlamento.

O imposto digital da França faz parte de um movimento mais amplo dos países europeus que visam lucrar com a atividade econômica das gigantes de tecnologia.

Só a receita com publicidade do Facebook, por exemplo, foi de US$ 33 bilhões em 2018.

“Essas gigantes usam nossos dados pessoais e lucram significativamente com isso, sem pagar sua parte justa de impostos”, disse o ministro das Finanças, Bruno Le Maire, segundo o jornal.

EUA x Europa

Desde o ano passado, há uma tentativa mundial de impedir que grandes empresas multinacionais transfiram seus lucros a jurisdições com carga tributária mais baixa.

Essas ações chegaram ao ponto de causar briga entre os Estados Unidos e a Europa, e as autoridades dos dois lados do Atlântico estão em conflito quanto aos esforços para impor novos tributos a empresas estrangeiras.

De acordo com o plano, apreciado primeiramente pelo The New York Times, os governos tributariam as empresas de mídia digital com base no local em que elas geram suas receitas, e não onde  mantêm suas sedes.

Essas empresas são acostumadas a se localizar em países como a Irlanda e o Luxemburgo, cujas cargas tributárias são mais baixas.

Por: Wagner Riggs
Fonte: Portal do Bitcoin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Does not receive any data from API
WhatsApp chat